Opa, novidades estão por vir!

Eita desespero, chega 2019 e não fechou a fatura do meu cartão esse mês!

Estou absurdamente ansiosa para fazer a inscrição de um novo sonho e compartilhar com todos, mas para isso preciso que chegue o dia 03 de Maio e nada dele chegar!

Já comecei a trilhar esse sonho, mas a efetivação da inscrição vai ser o ponta pé inicial de novos posts e muito treinamento.

Falta pouco, dia 03 tá aí! Logo mais fortes emoções 😉

Fatura

Anúncios

SII FODMAP Hãn!?!

AlertaAlerta: esse texto pode conter conteúdo embaraçoso e relatos explícitos aos sensíveis a assuntos gastrointestinais.

É brincadeirinha, mas acho muito importante você tirar um tempinho para ler esse texto e perder o pudor quando o assunto é defecar (por mais estranho que isso pareça). 24130515384285

Shit Happens

Você já se sentiu perdido (a), pois bem eu estou. Na realidade me sinto perdida nesse exato momento. Quando criei esse o blog foi no intuito de lidar com a dor crônica na coluna que tenho devido ao osteoma osteóide (tumor ósseo) – que graças a Deus recebeu o tratamento adequado e atualmente não me impede de nada que eu queria fazer – mas quis Deus (novamente) que minha vida desse mais uma volta e que agora tratarei de um novo problema crônico, a Síndrome do Intestino Irritável. Fui diagnosticada a alguns meses e confesso que agora vejo mais sentido nas coisas. Quero deixar bem claro que não estou feliz, mas pelo menos agora vou saber do que tratar e buscar formas para amenizar os sintomas.

Mas vamos lá, o que é a Síndrome do Intestino Irritável – SII ou Irritable Bowel Syndrome – IBS? Haaaaaa logo abaixo do texto deixei um descritivo bem detalhado com as informações sobre o que é, causas (possíveis), tratamento e como conviver.

Apesar de ser uma síndrome que acomete grande parte da população ela é pouco diagnosticada devido ao seus sintomas se assemelharem a outras doenças. Pode-se levar um tempo para conseguir diagnosticá-la já que não existe um exame específico, seu diagnóstico é feito pela eliminação de outras doenças e baseado nos sintomas que o corpo apresenta. No meu caso eu tinha a alternância em diarreia e intestino preso, muco nas fezes, muitos gases (de não conseguir controlar) e a barriga inchada. Não era a primeira vez que procurei um gastro para sondar sobre minha diarreia, já havia feito quatro colonoscopias em menos de 4 anos, mas dessa vez os sintomas estavam gritantes e também observei a variação do intestino preso e solto. Como estava muito acostumada com as diarreias nem percebia que depois delas o intestino prendia, eu considerava que ele estava regular e com isso omitia essa valiosa informação para conclusão do meu diagnóstico. Paralelamente aos sintomas intestinais também apresentei um quadro de depressão, o que “facilitou” na investigação, pois esses sintomas psicológicos estão ligados com a síndrome.

Para iniciar o tratamento recebi do gastro a orientação de me consultar com a psiquiatra para tratar da depressão e também uma receita com remédios cãaaros para comprar na farmácia e foi o que fiz!

Com o tratamento para a deprê e os medicamentos do intestino em mãos, e agora? Foi nesse momento que senti aquela vontade e resolvi pesquisar na internet para entender melhor a SII e tratamentos alternativos para ela e nessas buscas me deparei com a dieta low FODMAP como forma de amenizar os sintomas.

A dieta pobre em FODMAPs (sigla em inglês para Fermentable Oligo-saccharides, Disaccharides, Mono-saccharides and Polyols) é a abreviação para  um conjunto de carboidratos fermentáveis e de difícil digestão para algumas pessoas. Os FODMAPs (Oligossacarídeos, Dissacarídeos, Monossacarídeos e Polióis Fermentáveis) encontram-se em vários alimentos e quando não são digeridos e absorvidos, podem ser fermentados por bactérias do intestino grosso, produzindo os sintomas da síndrome. Essa dieta foi desenvolvida pela  Dra. Sue Shepherd em 1999 e foi capaz de reduzir os sintomas em 70 a 80% dos casos estudados, o que é bastante positivo.

A primeira vista quis infartar com a lista de itens ricos e pobres em FODMAP, lembrando que para reduzir os sintomas é preciso cortar os alimentos ricos, abaixo alguns exemplos:

Frutas Ricas em FODMAP: Maçã, pera, pêssego, manga, melancia, nectarina, cereja, abacate, sucos naturais, frutas secas, mel, frutose, xarope de milho

Frutas pobres em FODMAP: Banana, amora, carambola, uva, abacaxi, melão, kiwi, limão, lima, laranja, tangerina, morango, maracujá

Laticínios Ricos em FODMAP: Leite de vaca, cabra ou ovelha, sorvete, iogurte (mesmo desnatado), queijo fresco e cremoso (ricota, cottage, cream cheese)

Laticínios Pobres em FODMAP: Leite sem lactose, iogurte sem lactose, leite de soja, leite de arroz ou amêndoa, manteiga e queijos curados, como cheddar, parmesão, brie ou camembert

Hortaliças e Leguminosas Ricas em FODMAP: Alcachofra, aspargo, beterraba, brócolis, couve, alho, alho-poró, quiabo, cebola, couve-flor, ervilha, grão de bico, feijão, lentilha

Hortaliças e Leguminosas Pobres em FODMAP: Broto de bambu, cenoura, aipo, milho, berinjela, alface, cebolinha, pepino, abóbora, abobrinha, alface, tomate, espinafre, batata, batata doce

Cereais e Massas Ricos em FODMAP: Pães, bolos, biscoitos ou cereais contendo trigo e centeio e cereais com xarope de milho

Cereais e Massas Pobres em FODMAP: Farinhas, pães, macarrão e biscoitos sem glúten, produtos com farinha de milho ou mandioca, quinoa, arroz, tapioca, macarrão de arroz

Resumindo, será mais fácil começar a comer em casa. A partir de agora as compras de mercado deverão ser planejadas, as escapadinhas na alimentação vão ser limitadas e vou ter que controlar o que como afim de identificar os alimentos que me causam as crises.

Preste atenção! Não estou dizendo que nunca mais vou consumir alimentos ricos em FODMAP, mas consumirei com moderação e os que identificar que não fazem bem talvez até corte da alimentação.

Meu receio mesmo é conseguir controlar a alimentação para melhorar o rendimento dos treinos e não deixar nem esse novo estilo alimentar, SII e muito menos a depressão sabotarem meu planos. Dá trabalho ser feliz viu, mas não perco a fé.

Aguarde pelas cenas do próximo capítulo!

Elsa

 

Como prometido:

A síndrome do intestino irritável é uma doença comum crônica que afeta o intestino grosso (cólon) e que exige acompanhamento médico no longo prazo. As paredes dos intestinos são revestidas com músculos que se contraem e relaxam conforme o alimento ingerido vai passando do estômago em direção ao reto. Na síndrome do intestino irritável, as contrações podem ser mais fortes e podem durar mais tempo do que o normal, fazendo com surja alguns sintomas característicos da doença, como gases, flatulência e diarreia. Poder ser, ainda, que aconteça justamente o oposto, com contrações intestinais mais fracas que o normal, o que retarda a passagem de alimentos e leva a fezes mais endurecidas. Não se sabe exatamente o que leva uma pessoa a desenvolver a síndrome do intestino irritável, mas uma combinação de fatores pode estar envolvida: alimentos, estresse, hormônios ou mesmo outras doenças.

Sintomas de Síndrome do intestino irritável

Os sinais e sintomas da síndrome do intestino irritável podem variar muito de pessoa para pessoa e são, muitas vezes, semelhantes aos sintomas de outras doenças. Os mais comuns são: Dor abdominal ou cólicas, sensação de inchaço, gases, diarreia ou constipação – às vezes alternando crises entre os dois problemas, muco nas fezes.

A síndrome do intestino irritável é uma doença crônica na maioria dos casos, mas há momentos em que os sintomas manifestados são piores e momentos em que eles são melhores. Podendo, inclusive, ter fases completamente assintomáticas.

Convivendo/ Prognóstico

Mudanças de estilo de vida e na alimentação precisam vir acompanhadas do tratamento médico. Adote algumas medidas e acelere a recuperação. Veja dicas:

*Pratique exercícios físicos regulares e melhore seus hábitos de sono. Essas medidas ajudam a reduzir a ansiedade e aliviam os sintomas

*Mudanças na dieta são necessárias.

*Beba muito líquido.

*Alimente-se regularmente, durante todo o dia e em pequenas quantidades. Evite grandes refeições.

Lembre-se: o importante é evitar possíveis gatilhos para os sintomas da síndrome e adotar um estilo de vida saudável, mantendo um bom peso também. Excesso de peso e obesidade podem provocar prejuízos à saúde e também ao tratamento.

Expectativas

A síndrome do intestino irritável pode ser uma doença que necessita de tratamento por toda a vida. Para algumas pessoas, os sintomas prejudicam diretamente o desempenho no trabalho e nos círculos sociais. No entanto, o tratamento pode contribuir para trazer alívio aos sintomas, que podem, eventualmente, diminuir e às vezes até desaparecer completamente.

A síndrome do intestino irritável não causa danos permanentes ao intestino e não leva a uma doença grave, como o câncer, por exemplo.

Fonte: http://www.minhavida.com.br/saude/temas/sindrome-do-intestino-irritavel

Famosos portadores da Síndrome do Intestino Irritável: http://www.health.com/health/gallery/0,,20544727,00.html#what-is-irritable-bowel-syndrome–0

Reivindicando meu lugar ao sol

Já tem um tempo que as coisas estão paradas por aqui, deve ter sido um reflexo de tudo que passei nesses ultimos meses.

Desde o post anterior as coisas mudaram bastante, vi uma nuvem escura chegando e não consegui controlar isso. Foi assim, de repente, de um dia para o outro toda a disposição, energia e paixão pelos treinos foram ocupados por um cansaço absurdo. Não estava com vontade de fazer nada além de dormir, algo que não é tão normal para mim, na realidade é bem distante disso. Junto à essa indisposição complete para variar tive uma de minhas crises de diarréia, das que sempre tenho e como já não era de hoje (ou ontem) que lidava com isso fui correndo novamente para o gastro e PANZ! mais uma vez fui surpreendida, descobri que tenho a SINDROME DO INTESTINO IRRITÁVEL, mas era até o esperado, já que não era normal ter tanta diarréia ou intestino preso ao mesmo tempo. Mas na realidade o que me chocou era que a SII não tinha nenhum vínculo a toda indisposição que sentia e tá aí o PANZ! a depressão, acredita?!? Pois é, DEPRESSÃO, mas e agora?  Depois de comprar os medicamentos receitados pela psiquiatra pude ver essa nuvem se dissipar e finalmente voltei a ver graça nas coisas, me achar bonita, me sentir bem e voltar a treinar. Tá que as coisas na vida não podem ser fáceis, senão não tem graça – é o que dizem né, mas tem momentos que parece maldade até hehehehe – achei que fosse apenas colocar o tênis e sair para correr ou montar na bike afivelar o capacete e sair pedalando, mas nada disso aconteceu, meu corpo não estava respondendo ao meu desejo e percebi e fiz a melhor coisa que tinha para fazer no momento voltando para o pilates e PANZ mais uma vez, já voltei aos treinos de tri.

Beleza, mas e agora?!?

Agora resolvi viver um dia por vez, um treino por vez e observar tudo que meu corpo tem para me dizer. Ah! também é preciso repensar nos meus objetivos, acho que por enquanto os planos grandiosos serão apenas planos hehehehe mas não que eu irei desistir.

Img